terça-feira, 15 de janeiro de 2008

És de afectos?


Há pouco tempo, a X. perguntava-me:

- És de afectos?

- De afectos como?

- De beijos e abraços?

- Sou, pois! E muito! De mimos, beijos e abraços. De deitar ao colo, de dormir ao colo, de pedir colinho e de dar colinho e fazer miminho! De chuchar no dedo quando não consigo dormir, de fazer cafuné nos cabelos, de apertar bochechas, mordiscar orelhas, pentear os cabelos desalinhados, desenhar sorrisos, dar a mão, de deitar o ouvido na coluna do coração e ficar a ouvir o bate-bate, de cantar baixinho, de escrever bonito nos guardanapos do pequeno-almoço só para ver sorrisos. De comprar flores, de gostar de flores e do azul do céu e do pôr-do-sol, das estrelas à noite e do luar no Verão... Se sou de afectos? Então não sou?

2 comentários:

Huckleberry Friend disse...

Não resisto a comentar esta entrada, mais, a deixar-me por ela enlear, em exercício de daydreaming e wishful thinking privado. Na pública blogosfera, para evitar cair onde não quero, socorro-me do omnipresente Buarque de Hollanda:

Com açúcar, com afeto,
fiz seu doce predileto
Pra você parar em casa,
qual o quê
(...)
Logo vou esquentar seu prato,
dou um beijo em seu retrato
E abro os meus braços pra você


excertos de Com açúcar, com afeto

Sofia disse...

Só tu para comentares esta entrada e sabes bem que eu sou assim - de afectos! E muitos! De dar e receber! Gosto mesmo, às vezes as coisas até são mal interpretadas... sou o que se chama muito dada, não é verdade? Dos amigos gosto de todos os carinhos a que temos direito, de ti... esses todos (que somos muito amigos!) e todos os outros mais!

beijinhos com açúcar
Obrigada pelo poema