terça-feira, 15 de janeiro de 2008

A história de Lily braun

Para os fãs deste sorriso, destes olhos e do Círco Místico...


Como num romance
O homem de meus sonhos
Me apareceu no dancing
Era mais um
Só que num relance
Os seus olhos me chuparam
Feito um zoom

Ele me comia
Com aqueles olhos
De comer fotografia
Eu disse cheese
E de close em close
Fui perdendo a pose
E até sorri, feliz

12 comentários:

CVD disse...

os olhos do Chico são um fenomeno sem dúvida!!

tens que passar lá no meu ventinho... já voltei a escrever mais... andava desleixada!!!

Sofia disse...

Querida priam, já soprei muitas brisas lá no teu ventinho...tu é que és pouco atenta!

Lindos... parece os do meu piqueno quando o sol lhes bate de chapa... cuidado para não cegar e deixar de ver a princesa ;)

beijinhos

Huckleberry Friend disse...

Deixar de ver a princesa não será fácil, mas o sol cega sem avisar e há chuvadas que nos lavam tanto os olhos que acabamos a ver tudo desfocado... para depois recentrar. Prometo ter cuidado, mas a donzela que se mostre inteira e claríssima. Manhãs de nevoeiro, só as de Agosto, no Baleal, quando saio para a rua vestido como se o Verão existisse mesmo e tu dizes que sou doido. Ou outras, em sítios que exploramos juntos e em que me pedes, a medo, que te dê a mão. Que ora se fecha em concha protectora, ora se estica a apontar os perigos. Beijo.

Huckleberry Friend disse...

Quase me esquecia: também sou fã dos olhos do Chico, do sorriso, do violão, da voz, da poesia, da prosa, de tantas canções com tantas personagens que parece haver uma para cada um de nós a cada momento. Nelas estão as nossas alegrias e tristezas ou as nossas melhores lembranças...

JP disse...

Por este andar, mesmo sessentão, o Chico terá que reescrever "A Banda", porque o desfile de seus fãs é bem mais impressionante que uns tipos quaisquer a tocar instrumentos e a cantar canções de amor...

Beijos e cá vai "A Banda":


"Estava a toa na vida, o meu amor me chamou
Pra ver a banda passar, cantando coisas de amor
A minha gente sofrida, despediu-se da dor
Pra ver a banda passar, cantando coisas de amor


O homem sério que contava dinheiro, parou
O faroleiro que contava vantagens, parou
A namorada que contava as estrelas,
Parou para ver, ouvir e dar passagem


A moça triste que vivia calada, sorriu
A rosa triste que vivia fechada, se abriu
A meninada toda se asanhou
Pra ver a banda passar, cantando coisas de amor


O velho fraco se esqueceu do cansaço e pensou
Qu'inda era moço pra sair no terraço e dançou
A moça feia debruçou na janela
Pensando que a banda tocava pra ela


A marcha alegre se espalhou na avenida e insistiu
A lua cheia que vivia escondida, surgiu
Minha cidade toda se enfeitou
Pra ver a banda passar, cantando coisas de amor


Mas para meu desencanto, o que era doce acabou
Tudo tomou seu lugar, depois que a banda passou
E cada qual no seu canto, em cada canto uma dor
Para ver a banda passar cantando coisas de amor

M. disse...

ai mãe os olhos do chico.fazem a terra girar e girar e girar


Sim, me leva pra sempre, Beatriz
Me ensina a não andar com os pés no chão
Para sempre é sempre por um triz
Aí, diz quantos desastres tem na minha mão
Diz se é perigoso a gente ser feliz

o beatriz porque sim, pla mãe, eporque os pais fizeram ontem 29 anos de casados. 39 anos juntos,bolas.
saebs que tenho fases, sou assim, uma miuda de fases, ando desaparecida, lá volto, mas ando sempre aqui atenta a estas marés.
achei graça ao elogio que me deste no outro post, fez-me sorrir, porque sei que me conheces, e modestamente, sabes que odeio ser banal:P
we share a culture same vernacular
love of physical humor and time spent alone, já dizia a minha querida alanis.
beijo*

Maria del Sol disse...

Que coincidência aparecer aqui o grande Chico Buarque de Hollanda, na semana em que regressei a um dos seus álbuns clássicos, "Construção" :)

Já agora, deixo aqui também a minha escolha:

Todo dia ela faz
Tudo sempre igual
Me sacode
Às seis horas da manhã
Me sorri um sorriso pontual
E me beija com a boca
De hortelã...

Todo dia ela diz
Que é pr'eu me cuidar
E essas coisas que diz
Toda mulher
Diz que está me esperando
Pr'o jantar
E me beija com a boca
De café...

Todo dia eu só penso
Em poder parar
Meio-dia eu só penso
Em dizer não
Depois penso na vida
Prá levar
E me calo com a boca
De feijão...

Seis da tarde
Como era de se esperar
Ela pega
E me espera no portão
Diz que está muito louca
Prá beijar
E me beija com a boca
De paixão...

Toda noite ela diz
Pr'eu não me afastar
Meia-noite ela jura eterno amor
E me aperta pr'eu quase sufocar
E me morde com a boca de pavor...

Todo dia ela faz
Tudo sempre igual
Me sacode
Às seis horas da manhã
Me sorri um sorriso pontual
E me beija com a boca
De hortelã...

Todo dia ela diz
Que é pr'eu me cuidar
E essas coisas que diz
Toda mulher
Diz que está me esperando
Pr'o jantar
E me beija com a boca
De café...

Todo dia eu só penso
Em poder parar
Meio-dia eu só penso
Em dizer não
Depois penso na vida
Prá levar
E me calo com a boca
De feijão...

Seis da tarde
Como era de se esperar
Ela pega
E me espera no portão
Diz que está muito louca
Prá beijar
E me beija com a boca
De paixão...

Toda noite ela diz
Pr'eu não me afastar
Meia-noite ela jura eterno amor
E me aperta pr'eu quase sufocar
E me morde com a boca de pavor...

Todo dia ela faz
Tudo sempre igual
Me sacode
Às seis horas da manhã
Me sorri um sorriso pontual
E me beija com a boca
De hortelã...

"Cotidianoo"

Ele é um génio. Poucos homens têm esta paixão e talento.

Beijinhos!

Maria del Sol disse...

lapso: o título da canção é "Cotidiano". Eu e os teclados não temos uma boa relação :P

Sofia disse...

Huck estou a ver que ontem estavas muito inspirado!!! Gosto de ti assim! Ainda bem que também gostas do Chico ou iamos ter crise conjugal! Mas ele é um dos nossos: canta para nós, toca para dançar e que se cala para ouvir-nos desafinar... um beijinho muito especial

Sofia disse...

JP, gosto de te ver por aqui! Eu sou fã, mas fã mesmo do Chico! E como eu gosto dessa música... Ele o ano passado não a cantou no Coliseu, mas devia! A 'anamorada que contava as estrelas' adoro... essa sou eu, sabias? Foi em mim que se inspirou...

beijinhos e obrigada pela música (cantei toda!)

Sofia disse...

M., sabias que essa também é do Circo Místico? Uma das minhas favoritas! E lembrei-me da tua mãe... das poucas Beatrizes que conheço! Mas se forem todas como a tua... um doce! Quantos aos teus pais, são o máximo! Uns amores os dois. Pois que continuem que nós estamos cá para ver. Os meus também já contam 25 este ano! E eu menos 20 que eles!(LOL)

Ainda bem que voltaste que eu gosto de ver a amiga por aqui! Quando vens cá comer Ratatouille?

E banal? Qual banal!!! Nós que cabulamos desde a primária, que investigamos quartos secretos da escola e que desenhamos bolas gigantes nos 'is' desde cedo... banalidades não é connosco! Não te parece?

beijinhos e aparece mais, mas também cá em casa!

Sofia disse...

Ai Maria del Sol, como eu gosto dessa música... é 'toca a dançar' e agora, só um momento, que eu vou cantar! Há uma versão do Seu Jorge também muito animada! Mas o Chico de sorriso a cantar isso... é lindo!

Obrigada pela canção!
Ele tem paixão e é paixão, não te parece?