quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

No quites nunca esa canción...


De regresso às espanholadas, e aos Mecano de quem tanto gosto...

Porque não gosto que desliguem o rádio quando estou a ouvir aquela canção, porque não gosto quando acaba a bateria do mp3, porque não gosto que 'me quiten ninguna canción'!





Hay un disco que me excita
habla de una relación
el amor entre un hombre
y una máquina vapor.
Siempre lo estoy escuchando
es mi única canción
si alguien entra a cambiarlo
lo echo de mi habitación.


No, no, no, no quites nunca esa canción
no, no, no, no seas antiguo y déjate llevar
todo es posible en el amor.


Nota: Miguel, esta dava um belo cantinho do piroso...

4 comentários:

Maria del Sol disse...

Tive uma certa pena de perder o musical dos Mecano que esteve em cena há uns meses em Madrid (não sei se ainda está). Já não são da minha época, mas tornaram-se clássicos. E dá gosto ver como Ana Torroja se adaptou bem aos novos tempos ;)

Besos y feliz año!

Sofia disse...

Olá, olá!

Eu pude ver em Novembro e vale mesmo a pena... um pouco parecido com o musical que fizeram em Portugal, sobre os Xutos e Pontapés - '6ª feira treze'! E ainda ganhei um autógrafo do Nacho Cano! A carreira a solo da Ana não conheço bem, mas tenho de ver se oiço algumas!

Un beso y feliz año

Huckleberry Friend disse...

Que noite, a desse musical e das subsequentes copas, tapas, jantar e mais copas... foi mesmo daquelas em que acordamos, no dia seguinte, a dizer "Hoy no me puedo levantar". Mas levantámos, porque Madrid estava e está no mesmo sítio. E, infelizmente, não podíamos quedar-nos por lá.

Sofia disse...

Sé que volveremos, amor...

Está quase, quase...

besos