segunda-feira, 1 de outubro de 2007

Cais é onde tudo chega e tudo parte

"cais
s. m.,
lugar que, à beira de um rio ou porto, serve para embarque e desembarque de pessoas e mercadorias; parte das estações do caminho-de-ferro ou do metropolitano em que se faz a descarga de mercadorias e onde embarcam ou se apeiam os passageiros."

Talvez não tenha feito uma semana desde o primeiro dia em que me atrevi a comentar um blog. Primeiro lia, depois não resisti a comentar e agora eis que inauguro aqui a minha casa. Pode vir quem quiser, não precisa avisar ou dizer quem é, desde que venha por bem.
Abri este espaço de artes e de letras, de sons e de cores, de sensações de de sabores, para que a magia de cada dia possa ser partilhada por nós, para que as pequenas coisas que nos fazem felizes, ou até mesmo tristes, possam aqui ganhar mais vida.

Cais é onde tudo chega e de onde tudo parte. É um espaço mágico, cheio de histórias para contar: novidades e histórias passadas, marinheiros antigos e novas marés. As minhas marés começam hoje e espero que continuem por muito tempo. É um cais para aportar na tempestade e para descansar na calmaria. E que os ventos soprem de feição, para que todos possam encontrar este cais onde ancorar... o meu.








9 comentários:

Pedro disse...

Bem-vindo seja este cais ao qual sinto que já venho aportando há muitas marés...

M. disse...

sim.vou ser marinheira assídua.prometo.é só seguir a corrente e vir ca parar todos os dias.beijinho*

Sofia disse...

Obrigada! Pedro e M., fico à espera que as ondas vos tragam aqui muitas vezes.
Beijinhos

Anónimo disse...

Parabéns, maruja! Bem vinda à blogosfera.
Vou aportar muitas vezes neste cais, tenho a certeza. Os ventos hão-de soprar nesta direcção e as velas hão-de trazer-me para aqui, para me deliciar com tudo o que o mar por cá deixa. E para ter a certeza de que não falho a rota, este Cais vai já para os meus favoritos!

Beijinho
Madrinha

Sofia disse...

Obrigada Madrinha, pelas tuas palavras bonitas... vamos lá ver se sou capaz... beijinhos

Mário Pipopó disse...

Primeira viagem neste cais, de onde não espero cair.
Parece bem ancorado ao solo, mas com a flutuação da maré que dá o necessário sonho e o inadiável torpor, sem contudo atingir a náusea.
Trarei os meus navios e as minhas caravelas, aportarei e ouvirei as gaivotas a piar, o marulhar das ondas quebrando-se com suavidade, e o movimento em terra que mostra que a vida dos marinheiros -, sejam eles errantes, solitários ou decididos -, não se faz apenas de reflexão, mas igualmente de aprtilha.
Parabéns, Sofia!

Sofia disse...

Obrigada Mário pipopó... espero saber apanhar as ondas e jogar com as marés, para que continuem a vir aqui parar.

Beijinhos

Tertuliano disse...

contudo que se note que na foto você postou um píer, não um cais.

Sofia disse...

Tertuliano, bem-vindo a este cais!

Bem sei que é um molhe, como se diz aqui por estas bandas, mas este cais também é de pedra e o da fotografia é de madeira. LOL
São imagens destes portos, ou pontos para aportar que se vai fazendo este cais. Mas obrigada pela nota, ainda ninguém tinha dito isso! Gosto de comentadores atentos, continue a aportar por aqui, neste cais, molhe ou quebra-mar!

beijinhos