segunda-feira, 1 de outubro de 2007

"Porque é que a felicidade só é verdadeira quando o é para sempre?"

Sugestão de leitura:
O Leitor (der Vorleser), de Bernard Schlink, é uma história de amor, que se constrói pela magia e pela paixão da leitura. O relacionamento que, a princípio, nos pode parecer apenas baseado no prazer sexual, revela-se num amor puro e duradouro. Apesar de pertencer a uma geração de escritores nascidos nos finais da II Guerra Mundial, Schlink relega para segundo plano questões como a reunificação da Alemanha ou as monstruosidades do Holocausto e revela-nos a pureza do amor entre um adolescente e a mulher adulta. A pureza desse amor traduz-se na leitura, em voz alta, de clássicos da literatura. Este momento inseria-se num ritual antecedido pelo acto sexual e por um banho. No meu entender a leitura surge associada à purificação dos amantes, após o pecado – a consumação de uma relação proibida.


"Contudo, fomos felizes! Por vezes, quando o final é doloroso, a recordação trai a felicidade. Por que é que a felicidade só é verdadeira quando o é para sempre? Por que é que só pode ter um final doloroso quando já era doloroso, ainda que não tivéssemos consciência disso, ainda que o ignorássemos? Mas uma dor inconsciente e ignorada é uma dor?"



p.s. Esta entrada é dedicada à Madalena que leu comigo este livro, na sua versão original - em alemão.

9 comentários:

Anónimo disse...

a felicidade pode não ser para sempre e ser felicidade. felicidade passageira, para os que seguem a máxima carpe diem... às vezes quem se preocupa em saber se a felicidade é para sempre esquece-se de gozar cada momento de felicidade!

Sofia disse...

Nem mais, minha amiga! O Sérgio Godinho canta que "a vida é feita de pequenos nadas" e eu entendo esses nadas como partes de um todo, uma felicidade possível. Andar à chuva, comer chocolate do tacho, um beijo fugidio... enfim, a vida faz-se caminhando...

ana vidal disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

A felicidade são momentos, não um estado permanente. Isso só os tontos conseguem, não as pessoas lúcidas e normais! Por isso é tão importante aproveitar cada momento precioso desses, e respirar fundo até ao próximo...

beijo da madrinha

M. disse...

ora bolas sofia.deu-me pra ficar nostalgica.ja la vao uns aninhos..nota de redacção, devias dedicar o post tambem a professora rogelia,que nos pos a ler o livro,mesmo que em alemão tenha sido uma tarefa árdua.
quando acaba,quando ha o ponto final,o virar da folha,e se esse virar não foi suave,mas sim uma pagina rasgada,vai ser sempre uma história bonita com um senão.uma página rasgada.e é isso que a marcará das outras.


"Tristeza não tem fim
Felicidade, sim...
A felicidade é como a pluma
Que o vento vai levando pelo ar
Voa tão leve
Mas tem a vida breve
Precisa que haja vento sem parar..."

Tom Jobim

Sofia disse...

A quem o dizes madrinha... aproveitar cada momento, como se fosse o último! Sabes que Antoine de Saint-Exupéry dizia que "Se queres compreender a palavra 'felicidade', é indespensável entendê-la como recompensa e não como fim"... Há sempre a esperança de melhores dias. Gosto dos momentos de "respirar fundo", são os da melancolia, de pensar na felicidade que se teve e de suspirar...ai ai...

Madalena: Acreditas que já lá vão cinco? Mas saudade é do livro e da nossa leitura, não dessas aulas! Mas obrigada por mais um comentário teu. Sempre bonito e todo em minúsculas, já sabemos! Quanto a nós que esse "vento sem parar" te continue a trazer para estas bandas!

beijinhos às duas

www.77yum.com disse...

財神娛樂評價
體育投注
體育分析
首席娛樂城
香港六合彩
龍筋按摩
口交吞精影片
通博
一夜情聊天室

網路校園美女寫真 disse...

成人小說
成人影城
成人影片
成人影片下載
成人漫畫
成人網站
成人貼圖區
金合發
金順賽事

做愛 disse...

戴子郎
戴子郎團隊
戴子郎投資學院
戴子郎的漏洞投資學
戴子郎百家樂
偷拍藝人走光
偷情聊天室
偷拍直播
偷拍裙底直播