terça-feira, 27 de novembro de 2007

Sol: o primeiro cubista do mundo

O que ando a ler?
O País do Carnaval, o primeiro romance de Jorge Amado. Um daqueles livros que começam com aquelas frases que nunca esqueceremos, mas foi poucos parágrafos mais à frente que descobri um excerto que me apaixonou e que até agora não me deixou largar o livro...

Já descrera da felicidade. No fundo, entretanto, Paulo Rigger sentia que era um insatisfeito. Compreendia que faltava qualquer coisa na sua vida. O quê? Não o sabia. Isso torturava-o. E dedicava toda a sua vida à procura do Fim.

“Sim, murmurava no tombadilho, olhando as ondas, porque toda vida deve ter, necessariamente, um Fim... Qual?”

Mas o mar, indiferente, não lhe respondia. O sol que morria desenhava no horizonte paisagens berrantes. O sol foi o primeiro cubista do mundo...

5 comentários:

SANDY disse...

És fã de Jorge Amado?
Não conhecia o brasileiro até ter lido Capitães da Areia, a história do grupo de meninos abandonados que assustavam as ruas de salvador nos anos 30, os "Capitães de Areia"! É interessante conhecermos também o outro lado dos "moleques" que de pequenos só tinham mesmo a idade!
Podemos de pois fazer uma troca?!

Mário disse...

Li-o há muitos anos... décadas... enfim.
Saía sempre junto com outros dois pequenos romances: "Cacau" e "Suor".
Um dia volto a lê-lo, desde que tenha uns travesseiros de Sintra à mão... alguém mos oferece?

Sofia disse...

Sandy, Sandy? És tu? Ainda bem que apareces aqui! Sou fã sim! E quanto mais leio, mais fã fico! Aliás, acho que tenho alguns repetidos, se assim for, ficam desde já para ti!

beijinhos

Mário, se leu na juventude deve ter sido mesmo há séculos, ou pelo menos há meio dele... é assim que se responde a quem não sabe entregar presentes! Daqui nunca mais leva nada,nem restos do lanche de Natal, onde por acaso, até vai haver travesseiros! É para aprender...

beijinhos na mesma

Huckleberry Friend disse...

Xii que ela tá brava! Mas tem razão a sereia azulada: os travesseiros começam a cheirar pior do que uma perdiz faisandée... ainda bem que já temos outros apalavrados ;)

Sofia disse...

Temos mas vão ser só para nós... ou só para mim!!! que nessas coisas sou mesmo egoísta!

beijinhos