sexta-feira, 16 de novembro de 2007

Cais das codornizes (II)


À primeira vista é uma música de Chico César, que lembramos cantada pela Daniela Mercury, no seu Feijão com Arroz (1996). Mais recentemente, descobrimo-la cantada por Pedro Guerra num dueto com o autor... en bilingüe!

A voz da Daniela lembra as tardes de Verão, ao pôr-do-sol, num pátio virado à Berlenga... a versão do Pedro e do Chico recorda os últimos serões românticos e algumas danças de princípio de noite.



Quando o olho brilhou, entendi,
Quando criei asas, voei
Quando me chamou, eu vim
Quando dei por mim, estava aqui
Quando lhe achei, me perdi
Quando vi você, me apaixonei

7 comentários:

miguel disse...

Já o disse no " Codornizes" e repito-o aqui! Venham outros sons e outros poemas em Castelhano que isso é que aquece a minha alma.Caramba, senão queixo-me ao provedor do leitor.E também podem vir poemas e sons em galego, que também é um idioma bestial.

Sofia disse...

Olá Miguel! Vou ver do que me lembro em galego para pôr aqui. Prometo dedicar-te o post! Pode ser?

Já o disse notra Porta que aguardo o teu primeiro post... dedicado às duas pessoas que estão sempre a dizer para fazeres um blogue! ;)

Beijinhos

Huckleberry Friend disse...

Se por duas entendermos a sereia deste cais e a dama da porta, verificaremos nesta sexta-feira que não há mesmo duas sem três. Eis-me a erguer a cabeça do meu ninho para dizer, alto e bom som: Desenterrem-se os mortos!!! Beijinhos às ilustres exortadoras e um abraço para ti, Miguel

hfm disse...

Que belo!

Vieira Calado disse...

Também gosto desta, como da anterior.
Bom resto de semana.

Sofia disse...

Huck, aquele parto está mesmo dificil, mais um fim-de-semana e aquilo não se deu...

Olá Helena, bem-vinda a este Cais. Adoro o seu Alicerces, mesmo!

Vieira Calado, gosto que seja um marinheiro assíduo... ainda continua a promoção dos seus livros? Tenho de ir investigar isso.

Beijinhos a todos

addiragram disse...

Como ela condiz com a minha série da
Baía!Beijinhos!