terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Passeio musical por Lisboa

Não gosto da chuva que cai irregular nestes dias de céu cinzento. Não uso guarda-chuva e corro por entre os passeios escorregadios, atravesso as avenidas num corropio de uma agitação citadina. Gosto mais de passear alumiada pelo sol da Primavera ou de mãos dadas com as folhas que caem no Outono. A chuva só ao fim-de-semana, nas tardes de lareira. Por isso, hoje, da minha janela vejo chover, vejo o mundo atarantado a fugir dela, enquanto eu vou passeando por Lisboa na voz de Ana Moura.


5 comentários:

M. disse...

nunca gostámos de chuva, é mutuo.
apanhámos grandes molhas, ficavamos doentes, tantas vezes ao mesmo tempo, e diziamos em uníssono: "não mãe, não andei à chuva"

JP disse...

Para desanuviar dos dias cinzentos vai espreitar como são as cheias no "Eldorado".

Beijos.

marta disse...

também nunca ando de chapéu de chuva.

Ainda faço o mesmo que tu.

av disse...

Quem anda á chuva nem sempre se molha, miúda. Às vezes, só lava a alma.
Um beijinho

Sofia disse...

Pois não m. e tu ias sempre secar a minha casa... o cabelo, as camisolas e os sapatos. A minha mãe já sabia que comigo não havia nada a fazer e ameaçava sempre com a constipaço, a gripe e a temida pneumonia! Mas a verdade é que andavámos sempre de cabelos molhados. É bom ter quem se preocupe connosco! beijinhos

Ai JP, JP! Agora sou eu a culpada de tanta desgraça? LOL... só tu! Acedita que já brilhou mais o meu dia!

Marta, o guarda-chuva é incómodo! Não vale nada a pena... e depois, se não chove, temos de o transportar na mesma... não gosto!
beijinhos

Av, minha amiga!Tens razão... eu por mim, a não ser em dias que tenho compromissos mais formais, ando sempre à chuva! E gosto de ir à praia quando chove e de ver a chuva cair no mar... e de tomar banho de mar à chuva! A água é mais quentinha! Sabe tão bem como andar de cabelo molhado, apesar dos ralhetes da madrinha!

beijinhos