quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

The Hours in 9 minutes

Um presente antecipado, em jeito de matiné!
Um dos meus filmes preferidos que irei rever agora, uma companhia para um fim de tarde de febre. Um dos meus romances favoritos a que irei voltar esta noite, para recordar as frases marcadas. Uma das melhores bandas sonoras de sempre, pelas mãos de Philip Glass.




Dear Leonard. To look life in the face, always, to look life in the face and to know it for what it is. At last to know it, to love it for what it is, and then, to put it away. Leonard, always the years between us, always the years. Always the love. Always the hours.

3 comentários:

av disse...

Um dos mes favoritos também. Maravilhosa a perspectiva, tão rara: não os inadaptados, mas os que vivem com eles e os amam sem esperança de alguma harmonia, de alguma paz. Um filme inesquecível.
Mas não para ti, agora. Ri muito e dança, miúda!
beijinhos

Sofia disse...

Acabei por não o rever, foram-se metendo coisas e mais coisas, mas como a doencite aguda permanece hoje, há-de ser esta tarde. Adoro-o... são tensões e mágoas muito bem transmitidas... E sim a perspectiva é rara, o drama da vida do outro lado...

beijinhos

p.s. Ainda me hás-de ver dançar muito e rir... sabes que até quando estou triste, guardo sempre aquele sorriso para quem merece... hoje é mais espirros, mas passa.

Sofia disse...

Acabei por não o rever, foram-se metendo coisas e mais coisas, mas como a doencite aguda permanece hoje, há-de ser esta tarde. Adoro-o... são tensões e mágoas muito bem transmitidas... E sim a perspectiva é rara, o drama da vida do outro lado...

beijinhos

p.s. Ainda me hás-de ver dançar muito e rir... sabes que até quando estou triste, guardo sempre aquele sorriso para quem merece... hoje é mais espirros, mas passa.