terça-feira, 11 de dezembro de 2007

Cumplicidades... e um presente!

A música tem o poder de saber dizer aquilo que às vezes nos custa, ou aquilo que não somos capazes de dizer. Gosto de roubar pequenos versos, pequenos pedaços de muitas delas e cantá-las em momentos oportunos! Assim, algumas músicas vão aos poucos sendo 'nossas'... e minhas, já tenho tantas... Hoje, em duas delas, descobri esta cumplicidade:


Mi escondite, mi clave de sol, mi reloj de pulsera,
una lámpara de Alí Babá dentro de una chistera,
no sabía que la primavera duraba un segundo,
yo quería escribir la canción más hermosa del mundo.
(...)
Nunca pude cantar de un tirón
la canción de las babas del mar, del relámpago en vena,
de las lágrimas para llorar cuando valga la pena,
de la página encinta en el vientre de un bloc trotamundos,
de la gota de tinta en el himno de los iracundos.
Yo quería escribir la canción más hermosa del mundo.

(Joaquín Sabina)

Te voy a escribir la canción más bonita del mundo,
voy a capturar nuestra historia en tan solo un segundo.
Y un día verás que este loco de poco se olvida,
por mucho que pasen los años de largo en su vida.

(Oreja de Van Gogh)

5 comentários:

M. disse...

he:) ainda no fim-de-semana setive a ouvir o sabina.sabina, o perales,o patxi andion sao os leonard cohens a cantar em emspanhol:P
Y te has pintado la sonrisa de carmin,
Y te has colgado el bolso que te regalo
Y aquel vestido que nunca estrenaste
Lo estrenas hoy
Y sales a la calle.....buscando amor

miguel disse...

já disse e repito: o castelhano escrito é beleza exponenciada e tem que ser descoberto por todos.

Sofia disse...

M. sejas bem aparecida... já comeste a marmelada toda? Queres mais? Nunca tinha pensado dessa maneira... mas tens razão!

Miguel, como sabes, adoro Espanha e a língua castelhana... a música e a poesia quando cantadas, ou recitadas, nesse idioma, são-me preciosas... E sim, têm de ser descobertas. Pode parecer pirosas mas, às vezes, é por apenas ser bonito!

beijinhos aos dois

av disse...

A sensação de "piroso" que nos dá o castelhano é puro preconceito, muito antigo nos portugueses.
É uma língua forte e viva, com prosadores, poetas e letristas de enorme qualidade, de todos os tempos. Basta ultrapassarmos a estranheza e ouvir, ler, falar. Vale a pena.

Sofia disse...

Tens razão quanto a esse preconceito, eu própria o tenho muitas vezes! Mas o mesmo acontece com as músicas em inglês, mas ao contrário... algumas lindas e maravilhosas, mas quando traduzidas, não há mais pirosas!
Mais do que piroso, em castelhano, as coisas são mais melodiosas... E eu adoro...

Um beijo
p.s.Sabes que tenho esta música cantada pelo Sabina num dueto com... adivinha lá!