segunda-feira, 3 de março de 2008

MARIA GABRIELA LLANSOL


(Lisboa, 24 de Novembro, 1931 † Sintra, 3 de Março, 2008)

As palavras escritas numa vidraça embaciada pela chuva são sempre tristes. Não importa o seu verdadeiro significado.
(in "Intróito", de Os Pregos na Erva, 1962, 2ª ed: edições Rolim, 1987)

2 comentários:

SF disse...

É verdade, sim senhora!

Sofia disse...

É pois é... como eu gosto desta poeta da arte da palavra difícil, mas aqui tão simples e tão pura.

beijinhos