sexta-feira, 14 de março de 2008

Cantinho da Biblioteca (V)

De todas as paixões a que nos é mais incógnita é a preguiça. É a mais ardente e a mais maligna de todas, ainda que a sua violência seja imperceptível e que os seus danos se escondam. Se observarmos com atenção o seu poder, notaremos que ela se torna sempre mestra dos nossos sentimentos, dos nossos interesses e dos nossos desejos. Ela é a demora que tem a força para fazer parar os maiores navios, é uma calmaria mais perigosa para as grandes empresas do eu do que os bancos de areia e do que as maiores tempestades. O repouso dado pela preguiça é uma sedução secreta da alma, que pára de repente as lutas mais inflamadas e as resoluções mais obstinadas. Enfim, para se dar uma verdadeira ideia desta paixão, é preciso dizer que a preguiça é como que um estado de beatitude da alma, consolando-a das suas perdas e ocupando o lugar de todos os bens.


François La Rochefoucauld, in Reflexões.

6 comentários:

miguel disse...

Há só uma preguiça mortal: a preguiça de estar com os filhos. Todas as outras são preguiças relativamente menores, umas mais que as outras: a preguiça de fazer actividade física, por exemplo,pode ser considerada grave. Mas a preguiça do stress ou da má lingua ou da luta política ou de chegar rapido não se sabe bem onde ou do sucesso profissional ou de agradar aos outros ou...bem, há tanta preguiça bem vinda!

SF disse...

Não sei se gostei deste teu post, pá. A preguiça é o meu pecado capital. :(

Sofia disse...

Miguel, eu por mim adoro preguiçar, na praia, em casa, num banco de jardim!
beijinhos

SF, também tenho a leve ideia de sofrer de preguicite aguda, mas sabe-me bem e espero que não tenha uma cura muito definitiva!
beijinhos

tcl disse...

preguiçar é BOMMMMMMMMMMMMMMMM!

Sonhadora78 disse...

Preguiçar é muito bom e faz falta!!! Para dar à mente esses espaços de paz total.. sem pensamentos nem racionalizações..
E por vezes a preguiça é fonte de vida e essencial à sua manutenção...
Quanto à preguiça de estar com os filhos... Sei que ainda não fui mãe, mas sou educadora e não percebo essa.. se eu NUNCA tenho preguiça de estar com os meus quase 20 miúdos (que têm entre 18 e 48 meses).. vou ter preguiça de estar com os meus filhos? DUVIDO!!!!

Gosto de ti miúda!!!
E adoro que estejas FELIZ!!!

Beijos

Sofia disse...

Preguiçosos somos todos, mas eu prefiro deixar a minha preguiça para as manhãs de ronha, para as tardes de Inverno no sofá. Agora que a Primavera chegou, prefiro as tardes de praia, junto ao mar, a preguiçar na areia!
beijos