quarta-feira, 7 de maio de 2008

Memórias de fim de tarde


As ondas quebravam uma a uma
Eu estava só com a areia e com a espuma.
Do mar que cantava só para mim.
(Sophia de Mello Breyner - As ondas)

Ontem, o fim de tarde foi de passeio nas curvas da serra, de travesseiros e de mar. Há dias em que acordo com desejos da beira-mar, do cheiro a maresia a entrar pelas janelas quando se abrem de par em par. Sei que vai ser assim no fim-de-semana, que o mar vai estar mesmo por baixo da minha janela, que vou adormecer embalada pelo bater das ondas nas rochas, acordar com o canto da brisa matinal. Mas ontem desejei esse sabor e fui procurá-lo! Passear pé ante pé à beira-mar, às vezes correr fugindo das ondas que rebentam ferozes e se deitam a nossos pés! Deixar ali o meu cansaço e levitar! Regressar a casa, deixar para trás o mar, as ondas e as marés, mas trazê-los desenhados em leves gotas nos pés e grãos de areia brilhantes nos sapatos.
Nota: Obrigada às minhas companhias do passeio, por satisfazerem os meus caprichos!

8 comentários:

EDUARDO disse...

Grandes ondas nos levem em esperança... e caprichos teus :-)

fica bem!

Huckleberry Friend disse...

Foi bom passear contigo e, ainda nostálgico, ler este relato, brilhante como os grãos de areia que entraram no carro quando íamos a passar pelo Guincho. Toma lá um poema e um beijinho...

A estrada branca, de José Tolentino de Mendonça (in A estrada branca)

Atravessei contigo a minuciosa tarde
deste-me a tua mão, a vida parecia
difícil de estabelecer
acima do muro alto

folhas tremiam
ao invisível peso mais forte

Podia morrer por uma só dessas coisas
que trazemos sem que possam ser ditas:
astros cruzam-se numa velocidade que apavora
inamovíveis glaciares por fim se deslocam
e na única forma que tem de acompanhar-te
o meu coração bate

Julio Cesar disse...

Hê lá!Foram para o Guincho?Lindo não é Sofia?
Estivemos lá 4 dias,entre o Guincho e o Cabo da Roca,q soube a pouco.A mim o mar,sabe-me sempre a pouco.Há coisas q é muito difíceis viver sem elas,e momentos como este q tiveste é sem duvida 1 deles.;-)
O fds foi porreiro?Espero q esteja tudo bem com os 3.;-)
Desculpa a ausência aqui no Cais,mas não me esqueci,heim?
Duas beijocas e 1 abraço ao Amor mais velho.;-)
JC

Meg (sub Rosa) disse...

Queridinha, aqui estive.
Deixei um beijo aos dois em casa de Ana, a nova Porta do Vento.
Então são dois lá e mais dois agora.

Que linda descrição sensitiva.
Tens o dom, a mim me faria muito bem esse estado de espírito, solto e leve, partilhado, no entanto.
;-)
Pode-se pedir mais.
Com carinho
M.

Sofia disse...

Obrigada Eduardo e bem-vindo ao Cais.
beijinhos

Huck, foi bom, não foi? ;)

Obrigada pelo poema e pelos travesseiros... quando voltar a ter desejos, repetimos o programa!
beijos

JC, fomos sim! Passear! E até Sintra, para os travesseiros! LOL
A Cleo contou-me tudo, quase a matavas de ansiedade! Mas valeu a pena esperar, para surpresas destas vale sempre a pena!

beijos aí em casa aos 5

Meg,
Eu vi esses beijos todos! Obrigada e mando mais para ti! ;)
Vê se te animas, querida. Vai ver o mar e o pôr-do-sol que ajuda muito! Sobretudo, porque insipra...
beijos

tcl disse...

miúda, tu não abuses dos travesseiros, mas que vício, credo!

:-) passeios na praia, o mais possível!

Vasco disse...

Praia Grande, nice choice!
Muito melhor que o baleal! A título de picanço...
Até porque o Baleal fica muito longe de travesseiros e eventuais queijadas.

Bjs

Sofia disse...

Teresinha,

eu não abuso... muito! Mas é das poucas coisas que como com gosto!
beijinhos

p.s. Já fiquei com desejos!

Vasquinho, eu sabia que ias gostar! Mas nada se compara ao meu querido Baleal... 'a mais linda praia da terra portuguesa!' Fica longe das queijadas e dos travesseiros, mas ao lado dos ossos de Peniche! Também são óptimos.

beijos