terça-feira, 27 de maio de 2008

As artes do poema


UM POEMA

Não tenhas medo, ouve:
É um poema
Um misto de oração e de feitiço...
Sem qualquer compromisso,
Ouve-o atentamente,
De coração lavado.
Poderás decorá-lo
E rezá-lo
Ao deitar
Ao levantar,
Ou nas restantes horas de tristeza.
Na segura certeza
De que mal não te faz.
E pode acontecer que te dê paz...

Miguel Torga, Diário XIII

8 comentários:

Huckleberry Friend disse...

Eu não digo que os livros lá de casa não param quietos? Desesperados de conseguir domá-los, aproveitemos as oportunidades que a sua louca auto-arrumação concede... como esta, em que me sento sobre uma pilha de volumes adormecidos, lendo um livro de poesia oferecido pela sereia deste cais. Beijinhos!

ana v. disse...

Tens razão, Sofs, este é mesmo irresistível! Estou quase a converter-me ao Torga poeta...
beijinhos

MariaV disse...

Eu já me rendi. Bj

PSB disse...

Sofia
Recebi o teu recado. E confesso: gosto desta poesia. Brinca com as palavras com melodia e com sentido. Obrigado pela chamada de atenção.
Um beijinho

Vieira Calado disse...

Passei para dizer olá e deixar
um abraço.

Sofia disse...

Huck, qual é o livro, já agora? ;)

beijos

Vês Aninhas, sou uma boa 'pastora', estou quase a converter-te! ;)

Rosalinda, ainda bem! O Senhora Torga sabia o que dizia e como dizia!

beijos

PSB, seja bem aparecido aqui no Cais! Pois achei que ia gostar deste! Límpido e maravilhoso!
beijinhos

Vieira Calado, obrigada pela visita! Prometo retribuir, um dia destes!
beijinhos

Huckleberry Friend disse...

Ia-te dizer para adivinhares, mas as hipóteses são tantas... que tal a Antologia de Albertí, já a antever os petiscos de El Puerto de Santa María? Besos, mi amor!

RAA disse...

O Torga foi, para mim, o nosso maior diarista.